Categorias
Culinária Dicas

Revolupão 2 – Pão Sírio

Quando eu e Erielma viajamos para Foz do Iguaçu-PR (na fronteira com o Paraguai e a Argentina) tivemos o prazer de conhecer mesquitas, cafés e lojas e lanchonetes árabes. Nos encantamos com a beleza da arquitetura, com as roupas, comidas, bebidas e especialmente com a abertura da comunidade em explicar sua cultura e história. Aprendemos muito (e até ganhamos livros!) numa visita a mesquita Omar Ibn Al-Khattab (clique para conhecer mais)

Um dos elementos que nos encantou foi a culinária árabe, em especial, o café, os doces e a shawarma, um prato delicioso do Oriente Médio que lembra o kebab. Entre os souvenir de viagem, trouxemos alguns doces e também pacotes de PÃO SÍRIO. Ele também é chamado de pita ou de pão árabe: é aquele pão fininho e oval que comemos geralmente recheado com carnes, queijo e verduras. Este ai embaixo é um que fizemos aqui em casa.

Aprendendo a fazer pães em casa nesse período de isolamento social nos deparamos com a receita do pão sírio, que nos chamou atenção por sua simplicidade (3 ingredientes e sem fermento) e facilidade de ser feito. Também porque já sabíamos – depois de ter comido os feitos pelos imigrantes sírios de Foz – serem deliciosos e muito versáteis (existem mil e um recheios salgados e doces possíveis, e muitos outros que você vai inventar depois de fazer o seu!). É muito simples, gravamos como fazer para ficar ainda mais fácil!

A Receita

Viu como é simples de fazer?

Mas… Por que fazer seu próprio pão se você pode comprar na padaria?

Essa é a ideia que apresentamos no primeiro post, Revolução: faça você mesmo! (se não viu é só clicar ai!), é que:

Fazermos nosso próprio pão – até para quem já cozinha em casa como nós – foi surpreendente. Ver a a massa crescendo, a transformação dentro do forno e o sabor no final de pãozinho caseiro foi incrível! E como disseram meus amigos – os dois padeiros caseiros veteranos-: fazer pão é também uma questão de tempo para si próprio e para reflexão (muitas vezes crítica) sobre os contextos nos quais estamos inseridos, uma forma de diminuir o stress e fazer uma reconexão entre o eu e o mundo. Por essas e outras, venha fazer parte da Revolupão!

João Gilberto Saraiva. Revolução: faça você mesmo!

Imagem do início: Eu e Erielma em frente a doceria Albayan no bairro árabe de Foz do Iguaçu.